terça-feira, 30 de junho de 2009

Fogo Simbólico saiu hoje de Cachoeira


O Fogo Simbólico saiu hoje pela manhã de Cachoeira com destino ao município de Saubara. A pira que representa a chama da liberdade e a união do povo do Recôncavo foi acesa na Igreja Matriz pelo secretário da Educação e Desportos de Cachoeira, Alex Kaoner Simões e entregue ao vetereno atleta Zé de Zuza que após as bênçãos do cônego Hélio Cesar Leal Villas Boas, deu início a corrida do Fogo Simbólico. Antes de partir com destino a Saubara, os corredores foram até a Rua da Feira com a tocha. Ateltas cachoeiranos como o vetereno Zé de Zuza e atiradores do Tiro de Guerra se revezaram conduzindoi a tocha até Saubara. De Saubara, atletas da comunidade seguiram para Santo Amaro. O Fogo Simbólico passará ainda pela cidade de São Francisco do Conde, onde permanecerá hoje à noite, e seguirá amnhã para Candeias, Simôes Filho e Pirajá em Salvador para participar das comemorações do 2 de Julho.

segunda-feira, 29 de junho de 2009

Senador diz que PEC para exigência do diploma deve ser apresentada até 1º de julho


O senador Antônio Carlos Valadares (PSB-SE), autor da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que a exige a obrigatoriedade do diploma de jornalista para o exercício da profissão, afirmou que a proposta "será apresentada no mais tardar até as 18h da próxima quarta-feira, 1º de julho".





Segundo a Agência Brasil, o senador espera que a PEC conte com pelo menos 50 assinaturas de apoio no início da semana que vem. "Pretendo ampliar ainda mais o apoio à proposta e, com isso, criar condições para que sua tramitação ocorra de forma ágil", afirmou.

Para ser aprovada, a PEC deve passar primeiramente pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e depois ter pelo menos 49 dos 81 votos dos senadores em dois turnos.

"Não acredito que a proposta venha a ser considerada inconstitucional, porque é uma situação bastante similar à PEC da Verticalização Política. Na época o STF [Supremo Tribunal Federal] julgou que as alianças entre partidos nos estados teria de, obrigatoriamente, ser estendida a todo o país. Mas por meio de uma PEC o Congresso Nacional conseguiu mudar a situação", disse à Agência Brasil.


Rangou na crocró

Quem foi que disse que a fogueira das vaidades foi totalmente queimada com o encerramento das atividades do 25 de Junho em Cachoeira? Nada. Ainda há muita combustão no rastro da presença do governador Jaques Wagner e dos membros ilustres de sua comitiva. O babado agora diz respeito a um almoço que teria sido oferecido na moita para o ex-governador Waldir Pires e ao secretário da Saúde do estado, Jorge Solla. Teve gente que se arrumou pensando em pegar esse rango sarado ao lado dos notáveis convidados. Qual nada! O regabofe ficou restrito um círculo doméstico para desepero dos que foram preteridos na hora H. Os que foram vetados estão irados. Consideram que sofreram um mini-golpe político-gastronômico. A celeuma provocada pelo almoço na surdina está sendo chamada de a crise dos talheres.

Arrastão à moda sul-africana

O nosso correspondente na África do Sul, Edgar Lima, está em polvorosa. Foi vítima de um arrastão ontem à noite, na cidade de Joanesburgo. Lima, assim como outros turistas, não pode sequer, festejar a conquista do Brasil na Copa das Confederações. Os gatunos de lá, deram a elza em bolsas, jóias, carteiras, documentos, grana e até passaportes. Edgar Lima, ainda assustado com a inesperada violência, revelou que não ver a hora de chegar ao Brasil. A embaixada brasileira em Pretória já prestou a devida assistência aos turistas assaltados.
A violência também é globalizada.

Fogo Simbólico do 2 de Julho sai amanhã de Cachoeira




A tocha com o Fogo Simbólico, que representa a união dos povos que lutaram pela independência da Bahia, celebrada no dia 2 de Julho, sairá nesta terça-feira (30), às 7h, da cidade de Cachoeira, a 110 km de Salvador, com destino a Saubara. A tocha será levada por atletas cachoeiranos que se revezarão com atiradores do Tiro de Guerra local, após a bênção na Igreja Matriz de Nossa Senhora do Rosário.

A tocha que sairá de Cachoeira, cidade que ganhou o título de Heróica em 1837, por ter participado ativamente da luta pela Independência da Bahia de 1822 até 1823 seguirá para Saubara, Santo Amaro da Purificação, São Francisco do Conde, Candeias, Simões Filho e Salvador, onde será entregue ao prefeito João Henrique, no Panteheon de Pirajá, erguido em homenagem aos heróis do 2 de Julho.

O fogo simbólico sai de Cachoeira para as comemorações do 2 de Julho porque foi na então Vila de Nossa Senhora do Rosário do Porto de Cachoeira que o povo do Recôncavo deu o primeiro passo para liberdade e unificação do País, ao pegar em armas para expulsar militares portugueses que tentavam sitiar a população da vila. No dia 25 de Junho de 1822, a Câmara de Vereadores de Cachoeira, redigiu a ata histórica declarando D. Pedro, príncipe regente perpétuo do Brasil. Em reconhecimento ao papel histórico relevante desempenhado pelos cachoeiranos pela Independência da Bahia, desde 2007, a sede governo do estado da Bahia é transferido para Cachoeira. (Foto do ato em homenagem aos heróis da Independência na Praça Teixiera de Freitas, no dia 25 de Junho, Data Magna de Cachoeira)

domingo, 28 de junho de 2009

Um mimo para o office-boy do 25 de Junho

Depois de gastar muita energia bajulando os funcionários do cerimonial do governador do estado da Bahia, e de trabalhar voluntariamente como office-boy entregando convites para os atos do 25 de Junho com a presença de Jaques Wagner, um político sem- voto, liderança sem liderados de Cachoeira, estava que era só contentamento. Parecia pinto no lixo. Ganhou em troca do serviço de mensageiro, o direito de ficar por alguns segundos junto às autoridades, na tribuna instalada na Câmara de Vereadores, para assistir o desfile cívico. Mas só foi isso. No mais, teve que grudar num político de verdade, muito querido e respeitado, para não ficar tão solitário e desprestigiado. Não foi barrado no baile como durante a visita do presidente Lula, mas também não foi notado pelo governador Jaques Wagner. Como se diz em Cachoeira: Quebrou podre!

Pó de corredeira na quadrilha

Uma quadrilha que deveria se apresentar completa e bastante unida no dia 25 de Junho, colada aos pés do Caboclo, apareceu para o público desfalcada. Pelo menos dois dos integrantes da quadrilha que vem dançando junta desde outubro do ano passado, parece que perderam o compasso. Um deles nem deu as caras para aproveitar os quinze segundos de fama. Já o outro, correu por fora. Preferiu o papel de papagaio de pirata de um grande político baiano. Comentam-se que a cizânia teria sido provocada pela mina da gota d'água.

sábado, 27 de junho de 2009

Levada dos carros do Caboclo e da Cabocla abre festa do Dois de Julho em São Félix


Autoridades e populares conduzem hoje à noite, às 19 horas, os carros do Caboclo e da Cabocla para a vizinha cidade de São Félix. O ato marca abertura das celebrações em homenagem ao aniversário da Independência da Bahia em São Félix. Hoje à noite, além da levada dos carros alegóricos, estão previstas apresentações de coral e da Filarmônica União Sanfelista. No dia 1 de Julho, acontece o Bando Anunciador do Dois de Julho pelas principais ruas da cidade, às 19h. Após o Bando Anunciador haverá apresentação de manifestações culturais populares. No dia Dois de Julho, a programação será aberta às 6 horas com alvorada de fogos com salva de 21 tiros em homengame aos heróis da Independência da Bahia. Às 8h autoridades participam da solenidade de hasteamento das bandeiras no Paço Municipal. Às 9 horas em ponto será dada a largada da Corrida da Independência.

Na parte da tarde, a partir das 13h30min, a programação será retomada com arealização de sessão solene na Câmara de Vereadores, tendo como orador o bispo diocesano da Igreja católica Apostólica Brasileira, Dom Roque Cardoso Nonato. Após a sessão solene, terá início o desfile cívico com o tema 'As Lutas pela Independência e as Lutas pela Sobrevivência", com a participção de escolas, bandas marciais e fanfarras, autoridades e os carros do Caoboclo e da Cabocla. O descerramento das bandeiras está previsto para às 18h, após o desfile cívico. Em seguida, será reinaugurado o Paço Municipal; às 19h show pirotécnico epara encerrar apresentação de fanfarras e recondução do carro do caboclo para Cachoeira.

sexta-feira, 26 de junho de 2009

Popularidade testada nas ruas


O prefeito Tato Pereira, ontem, mais uma vez, testou a sua ampla popularidade entre os habitantes do município que governa. Durante todo o percurso do desfile em em homengaem a Independência de Cachoeira, Tato Pereira foi aplaudido, abraçado e cumprimentado por populares. O prefeito acompanhou o cortejo cívico ao lado da esposa Rita de Cássia, dos deputados estaduais Nelson Leal e Luis Argolo, vereadores, secretários, assessores e dezenas de correligionários. Por onde passou, o político Tato Pereira recebeu manifestações espontâneas de carinho até mesmo vindas da parte de turistas e visitantes que vieram passar o São João em Cachoeira e acabaram participando também das homenagens cívicas pelo 25 de Junho, data da Independência de Cachoeira.

Governador atende reivindicação do prefeito Tato Pereira


O governador Jaques Wagner assinou, ontem, na Câmara de Vereadores de Cachoeira, durante a sessão solene em homenagem aos 187 anos da Independência de Cachoeira, a autorização para a recuperação da BA-880 que liga o povoado de Opalma ao de São Francisco do Paragaçú. A reivindicação para a execução da obra que irá benficiar aproximadamente oito mil moradores da região da Bacia do Iguape foi pleiteada no ano passado ,na mesma data e local, pelo prefeito de Cachoeira Tato Pereira que, na ocasião,ofereceu ao governo do estado , uma contrapartida de R$ 1 milhão. Vinte e dois quilômetros desta rodovia serão totalmente pavimentados, o que vai beneficiar cerca de 105 mil pessoas. Pela rodovia trafegam cerca de 50 veículos por dia. A obra representa um investimento de R$ 3,4 milhões e vai melhorar o escoamento da produção de dendê e o turismo.

Outras obras

Ainda em Cachoeira, o governador, Jaques Wagner, autorizou a implantação do sistema de abastecimento de água na comunidade de Engenho da Vitória, com investimento na ordem de R$ 102,941,00, beneficiando 35 famílias. Foi autorizado também a implantação desse mesmo sistema nas comunidades de Calolé, Imbiara, Tombo, Caimbongo, Formiga, Alecrim, Maria Preta e Saco. Totalizando investimentos na ordem de R$ 1.574.589,50, o que vai beneficiar 825 famílias.

A Secretaria de Cultura da Bahia (Secult), foi autorizada a celebrar um convênio com o Instituto do Patrimônio Artístico Cultural da Bahia (Ipac), a Fundação Pedro Calmon – Centro de Memória e Arquivo Público da Bahia –FPC, a Secretaria de Educação do Estado da Bahia e a Universidade Federal do Recôncavo da Bahia – UFRB, para realizar o curso “Gestores do Patrimônio”. O objetivo é oferecer aos jovens estudantes da Rede Estadual de Ensino de Cachoeira e São Félix, assim como os graduandos da UFRB, conhecimentos básicos da educação patrimonial e ambiental.

Foi autorizado também, um pacto territorial de enfrentamento a violência contra as mulheres e um convênio para a reforma da Santa Casa da Misericórdia de Cachoeira. O convênio prevê a reforma do ambulatório e a instalação de central de oxigênio daquela unidade hospitalar. Os recursos financeiros para a execução do convênio totalizam R$ 690 mil, e serão repassados em três parcelas pela Secretaria Estadual da Saúde.

Fotos unem Cachoeira a São Félix

Foi aberta ontem pelo governador do estado Jaques Wagner, a exposição fotográfica “Duas paisagens – uma troca de olhares”, na ponte Dom Pedro II que liga as duas cidades sobre o Rio Paraguassú. Na ponte, 16 painéis contam a história, origem e riquezas dos dois municípios. “Cada município tem uma importância. Esta mostra vai servir para aproximar mais São Felix e Cachoeira. Fazer com que elas interajam mais culturalmente. Acabar com o ciúme entre elas”, brincou o governador.
As imagens foram garimpadas em arquivos oficiais e particulares de moradores das cidades retratadas. Fotos de arquivo público do Estado também foram utilizadas.

quinta-feira, 25 de junho de 2009

ARTIGO: A liberdade de expressão eo cinismo patronal





"A discussão sobre o fim do diploma de Jornalismo continua em pauta , seja pelas comparações sem sentido utilizadas pelos ministros em seus votos ( como a que compara a formação dos profissionais de imprensa ao de chefes de cozinha) , seja pelos motivos alegados pelos jornalões e entidades patronais para justificarem a decisão da Justiça.

Todos sabemos dos privilégios de que desfrutam algumas castas em nosso País, com salários formidáveis e uma arrogância maior ainda (sempre seremos uma república de doutores), e esta situação é típica de democracias que ainda não se consolidaram e que vivem reféns de poderes constituídos que legislam em prol de seus interesses. Aqui nos deparamos com freqüência com os "lalaus", com vetustos senadores que mantêm em gavetas segredos envolvendo sobrinhos (o Senado tem mais sobrinhos do que o Pato Donald!), mordomos, planos de saúde vitalícios, viagens à custa do nosso dinheiro, mensalões e uma gama considerável de atos imorais ou ilegítimos. Somam-se a estes muitos empresários da mídia que confundem o trabalho da imprensa com balcões de negócios e que, volta e meia, fecham seus veículos, sem ao menos indenizarem os jornalistas que os sustentaram por longo tempo.


Mas, dentro dos limites desta coluna, cabe-nos analisar apenas um dos motivos alegados pelos ministros, com a adesão integral dos empresários da comunicação: a liberdade de expressão.


As perguntas básicas são: o fim do diploma restaura mesmo a liberdade de expressão? De que liberdade de expressão estão falando ministros e patrões da imprensa em coro uníssono?


O equívoco (que não é involuntário, mas orgânico ) pode ser percebido a partir de duas alternativas: a) falta de entendimento sobre o processo de produção jornalística e b) total desconhecimento do conceito de liberdade de expressão.


Na verdade, a liberdade de expressão na mídia não se resume à ação dos profissionais de imprensa que, no jornalismo moderno, íntegro, recorrem a fontes para dar conta de suas pautas e produzir suas matérias. Apenas os colunistas, comentaristas, cronistas podem expressar, sem outros filtros - e até censuras - as suas opiniões porque na reportagem padrão existe a mediação das fontes. O jornalista, em princípio, cobre assuntos vários e necessita recorrer a outras falas.


Se estamos nos referindo a colunistas ou comentaristas veremos que muitos deles nunca precisaram de diploma e nem lhes tem sido feita esta exigência. Vide o caso de Dráuzio Varella, do Marcelo Gleiser, José Goldemberg, Xico Graziano e dezenas de outros profissionais que escrevem nos jornalões, ou de jogadores de futebol e até árbitros que transitam tranquilamente pela televisão brasileira, com participações competentes ou não.


O conceito de liberdade de expressão de alguns ministros que decidiram pelo fim do diploma ou da ANJ e ABERT é bastante singular .


Certamente, ele coincide com a perspectiva das elites que acreditam que só devem ser convidados para manifestar sua opinião os bem letrados, os que exibem currículos Lattes, os amigos da casa, os que financiam os veículos. Seria ingênuo esquecer que boa parte da imprensa brasileira está em mãos de caciques políticos ou grupos econômicos, a maioria dos quais com assento no Parlamento brasileiro, e que utilizam as concessões oficiais de rádio e televisão para defenderem os seus interesses. Uma outra parte é apropriada por aventureiros que utilizam a imprensa para negociar favores ou buscar visibilidade para os seus próprios negócios extrajornalísticos. Deve ser esta a visão de liberdade de expressão a que se referem a ANJ e a ABERT.


Um levantamento mesmo que ligeiro vai evidenciar que os movimentos sociais, o cidadão comum, as organizações não governamentais, os sem titulação estão praticamente ausentes da mídia brasileira e que, quando muito, preconceituosamente, freqüentam as páginas policiais. Um olhar ainda que rápido vai mostrar que os empresários da mídia convidam para colunistas, articulistas etc pessoas bem situadas, numa bem planejada troca de favores (secretários de Estado, advogados, juristas, grandes empresários etc), e nunca pessoas comuns, trabalhadores, agricultores familiares ou mesmo pequenos empresários. Os patrões da mídia sempre deram voz apenas para as elites, para os seus amigos e os seus parceiros em negócios muitas vezes excusos, e que ilustram negativamente a história da imprensa nacional. Certamente, há exceções, mas elas apenas confirmam a regra.


O importante é que o diploma nunca teve a ver com a liberdade de expressão, assim como na grande imprensa brasileira os jornalistas jamais tiveram a liberdade para definir, autonomamente, as pautas e suas orientações. Elas foram e continuam sendo conduzidas por linhas editoriais, controladas por prepostos dos patrões que buscam sintonizá-las com os seus interesses particulares (políticos, comerciais, ideológicos).


A relação capital x trabalho (não há aqui qualquer tentativa de ideologizar a questão) é uma realidade na grande imprensa, dominada pelas famílias ilustres e que jamais, para utilizar uma evocação de um ex-presidente também da elite, deram voz para quem trabalha na cozinha, no campo (a não ser grandes empresários rurais ou latifundiários).


A liberdade de expressão defendida por ministros e entidades patronais de comunicação tem a ver com a sua visão pouco democrática de liberdade, da rejeição a um processo autêntico de diversidade cultural, da falta de respeito em relação às minorias e de preconceito contra os que não têm diploma, os verdadeiros excluídos deste país.


O cinismo empresarial , ao defender a extinção do diploma, em nome de uma estranha liberdade de expressão, merece o nosso repúdio porque será sempre razoável perguntar: onde estão os sem diploma nas páginas de jornais (quantos têm espaço para essa expressão?) e nos programas de rádio e televisão?


Os patrões e os ministros, voluntária e equivocadamente, apesar do discurso hipócrita, estavam, na prática, buscando desestabilizar as organizações sindicais e criando condições para a degradação do salário profissional. Alguns talvez tenham se aproveitado para uma represália à categoria que continuamente vem denunciado posturas discutíveis nos poderes constituídos e outros certamente, por convicção, têm mesmo uma percepção muito particular da liberdade de expressão.


Ministros e muitos empresários da comunicação nunca se preocuparam com os sem diploma e nunca lhes deram qualquer chance de expressar as suas idéias. Na verdade, nunca quiseram saber deles porque transitam em um ambiente protegido, onde se manifestam pessoas com diploma e poder e sólidas relações de amizade ou comerciais.

Será sempre possível e necessário discutir a qualidade dos cursos de Jornalismo, a sua adequação à realidade brasileira e aos imensos desafios que temos de superar, mas continua sendo fundamental questionar a legitimidade daqueles que, de maneira oportunista, se arvoram como defensores da liberdade de expressão.

As elites brasileiras sempre buscaram estar mobilizadas para defender os seus interesses. É fácil entender a lógica de muitos empresários da comunicação: basta ver os editoriais e reportagens de jornalões paulistas indicando os deslizes éticos de empresas de tabaco e empreiteiras e flagrar os patrocinadores de seus cursos para formação de jornalistas: exatamente a Philip Morris e a Odebrecht. Querem nos convencer sempre de que a área editorial e a comercial caminham separadas quando, na prática, elas se articulam numa relação que aparentemente parece ilógica. Fazem negócios, a gente sabe disso, mesmo quando denunciam posturas ilegítimas, assim como criticam os governos interessados em suas polpudas verbas publicitárias. Não fazem assim também bancadas de parlamentares quando ameaçam votar contra a posição oficial apenas para obter favores governamentais? A lógica é a mesma e está distante da que poderia apontar para uma autêntica liberdade de expressão.

Muitos empresários da mídia têm uma visão particular da imprensa e da liberdade de expressão. Com ou sem diploma, o Jornalismo, nos grandes veículos, continuará refém das elites porque este caráter está no seu DNA.

A sociedade e os jornalistas, com ou sem diploma, que quiserem praticar a autêntica liberdade de expressão, devem buscar outras alternativas e, sobretudo, estabelecer parcerias legítimas com os que não têm voz, não tem currículo Lattes e continuam excluídos do debate democrático e do processo de tomada de decisões.

A liberdade de expressão jamais será uma concessão ou dádiva dos empresários da mídia. Ela precisará ser conquistada a cada dia pela mobilização de todos nós. Eles estão preocupados demais com a sustentabilidade dos seus negócios para se preocuparem com a democracia.

Em tempo 1: Não temos qualquer preconceito em relação aos chefes de cozinha e sabemos que muitos deles, por absoluta competência, têm salários mais dignos do que aqueles com que os patrões da imprensa costumam contemplar os jornalistas.

Em tempo 2: Não é razoável confundir a profissão de jornalista com um papel, mesmo porque, em muitos e muitos casos, ele têm sido emitido por instituições que afrontam a educação brasileira e a formação do jornalista. Muitos destes cursos continuam existindo por omissão das autoridades da área educacional e mesmo dos demais poderes constituídos. Mas é mais fácil , a gente entende, abolir o papel do que moralizar a educação brasileira. Há políticos , ministros e outras autoridades ( e seus apadrinhados) que lucram formidavelmente com o negócio da educação.

Em tempo 3: Nem sempre os colunistas, comentaristas têm liberdade para expressar as suas opiniões. Os empresários da comunicação quase sempre patrulham também estes espaços, a começar pela escolha dos que podem ter opinião em seus veículos. Mas felizmente há jornalistas ou outros profissionais que conseguem fugir a este cerco, seja porque conseguiram esta autonomia por sua competência, seja porque, embora não os engula, os donos da mídia reconhecem que eles têm um público fiel ou lhes propiciam bons lucros (lembremo-nos do Juca Kfouri com o seu bordão: merchandising na televisão!). Mesmo quando preservam colunistas ou comentaristas com posições divergentes das suas, os patrões da mídia sempre têm em mira o seu negócio. Sua visão de liberdade de expressão passa obrigatoriamente pelo volume de sua receita ou audiência (o que dá no mesmo).



* Wilson da Costa Bueno é jornalista, professor da UMESP e da USP, diretor da Comtexto Comunicação e Pesquisa. Editor de 4 sites temáticos e de 4 revistas digitais de comunicação.

terça-feira, 23 de junho de 2009

Véspera de São João na Rua João Vieira Lopes


Fogueiras, fogos, licor, amendoim e muita alegria entres os moradores da Rua João Vieira Lopes, em Cachoeira na véspera do dia de São João.

Impressões de um viajante sobre Moçambique

Edgar Lima nos manda as suas impressões sobre Moçambique, país africano que acaba de visitar:
"Olá pessoal, estive em Mozambique ( eles não querem chamar Mocambique e nem falar português). A situção la não e boa. O país tornou-se independente de Portugal em 1975, depois dez anos de guerra civil, e, agora com a realização de três eleicões, ainda não foi recosntruído. O país está destruído. Há mendingos, pedintes, sujeira, esgoto à céu aberto em pleno centro da cidade de Maputo. A infra-estrutura urbana só é melhor no bairro da classe política. Fui ver o mercado de artesanato e não consegui comprar nada devido ao assédio dos vendedores. Eles ficavam em cima da gente como lobos para vender seus produtos, dizendo que precisavam de dinheiro para comer. Nem cartão postal havia da cidade. Porém, Maputo é uma a cidade com áreas verdes.
Abracos,
Edgar".

Chegou o São João!


Cachoeira já está em clima da festa de São João. Os visitantes não param de chegar. O som do forró
espalha-se pelos quatro quantos da cidade histórica. A tradicional chuva que marca o início do inverno não está desanimando as pessoas que, ao que tudo indica, estão dispostas a curtir os quatro dias de festa. A programação foi aberta onterm à noite com o inicio do tríduo em louvor a São João. No palco principal a primeira atração foi o Samba de Roda Esmola Cantada da Ladeira da Cadeia. Outras atrações também subiram ao palco antecedendo o cantor Virgílio, a grande atração da primeira noite do São João e Feira do Porto de Cachoeira.

segunda-feira, 22 de junho de 2009

Senador vai protocolar proposta de PEC para tornar obrigatória a exigência do diploma para jornalista

Amanhã (23), o senador Antônio Carlos Valadares (PSB-SE) vai protocolar uma Proposta de Emenda à Constituição Federal (PEC) para tornar obrigatória a exigência do diploma de nível superior para o exercício da profissão de jornalista. No dia 17 de junho, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu pelo fim da exigência do diploma.
Site oficial
Antônio Carlos Valadares

Segundo o blog do jornalista Paulo Souza, o senador espera recolher as 27 assinaturas necessárias para a aprovação da PEC. "Com todo o respeito que tenho ao Supremo Tribunal Federal, foi uma decisão equivocada. O jornalista é um profissional cujo trabalho é reconhecido. É uma tradição a legitimidade. O Brasil não pode retroceder. Como um senador socialista, e junto com o vereador socialista Elber Filho, defensor dos jornalistas, não poderia deixar de recolher as assinaturas e protocolar a PEC", declarou o senador.

O deputado federal Eduardo Amorim (PSC-SE) prometeu apoio à iniciativa do senador quando ela chegar à Câmara dos Deputados. "Através de uma PEC mudaremos definitivamente este entendimento. O projeto deve existir nas duas Casas (Senado e Câmara) unificado e, não tenho dúvida que esta PEC será aprovada. Sou simpático a idéia da exigência do diploma para o exercício da profissão. É preciso qualificação porque assim torna a categoria muito mais forte e a sociedade sai ganhando com uma imprensa mais forte", afirmou o deputado.

domingo, 21 de junho de 2009

Feira do Porto - Os visitantes já estão chegando


Hoje, pela manhã, já havia uma movimentação de turistas e visitantes na orla fluvial de Cachoeira, onde acontece a tradicional Feira do Porto, o evento que reúne a diversidade cultural do Recôncavo.As peças de cerâmicas dos oleiros da comunidade de Maragojipinho está sendo a principal atração para os visitantes. Enquanto isso, donos de barracas de comidas e bebidas trabalham para deixar tudo pronto para hoje à noite, último dia do Projeto Esperando o São João, que desde o final do mês passado promove o São João de Cachoeira com artistas locais nos finais de semana. Os funcionários da prefeitura também estão trabalhando em ritmo acelerado para concluir toda a infra-estrutura da festa que deverá atrair cerca de 60 mil pessoas durnate os quatro dias da Feira do Porto.

sábado, 20 de junho de 2009

Tríduo e Virgilio abrem a Feira do Porto 2009


A programação do São João e Feira do Porto de Cachoeira, cidade histórica no Recôncavo baiano, distante 110 km de Salvador, começa com a abertura do tríduo em homenagem ao santo padroeiro da festa. Na capela de madeira armada no Jardim do Faquir, próximo ao palco principal da festa, um grupo de rezadeiras cachoeiranas mantém a tradição popular religiosa, segunda-feira, às 19h. O tríduo será encerrado no mesmo horário, na quarta-feira, dia de São João. O cantor Vírgilio será a grande atração da primeira noite da festa. Antes da apresentação do cantor, o Samba da Esmola Cantada subirá ao palco às 20h.


A cidade já está toda preparada e pronta para receber os visitantes para a festa que se estenderá até quinta-feira dia 25 de junho, data em que a população local celebra a Independência de Cachoeira com solenidades cívicas e shows com diversas atrações, a exemplo das bandas Calypson e Psirico. Cerca de cem barracas foram instaladas na área da festa para comercialização de comidas e bebidas típicas. Artesãos e oleiros da comunidade de Maragojipinho também já estão instalados nas margens do Rio Paraguaçu, para a Feira do Porto, onde são comercializados além de artesanato, iguarias, produtos agrícolas. O público contará, ainda, com dois palcos alternativos para dançar forró, além do palco principal.


A festa junina da cidade histórica reúne a diversidade cultural do Recôncavo, artistas e bandas conhecidos nacionalmente. Consta da programação do São João de Cachoeira, manifestações populares como o samba de roda, bumba meu boi, quadrilhas juninas, grupos de forró pé de serra e o folguedo segura a veia. Também vão abrilhantar os festejos as bandas Cavaleiros do Forró, Saia Rodada, Tio Barnabé, Arreio de Ouro, dentre outras.

Empório dos Sentidos

O Empório dos Sentidos – Afro Café Arte é a mais nova casa de cultura da cidade da Cachoeira. Idealizado por Damário Dacruz e Tufic Nader, o Afro Café Arte abre as portas hoje, dia 20 de junho, às 21h para a sua pré-inauguração.Quem for visitar o espaço encontrará várias linhas que mantém raízes africanas, através de quadros, artesanatos, lembranças e comidas típicas, por exemplo.

Reação

Indignação cresce de norte a sul: novos protestos convocados para segunda-feira
Estudantes de Jornalismo de diversas cidades do país organizam novas manifestações de desagravo à decisão do STF que aboliu a obrigatoriedade da formação universitária para a profissão de jornalista. Os atos estão marcados para esta segunda-feira, dia 22, em São Paulo, Brasília, Rio de Janeiro, Teresina e Caxias do Sul. Em Porto Alegre, haverá manifestação na quarta. FENAJ, Sindicatos de Jornalistas e Fórum Nacional de Professores de Jornalismo se engajaram na mobilização e também fazem convocações.

sexta-feira, 19 de junho de 2009

J. Velloso lança CD na Saraiva do Shopping Salvador

Depois das benções em Santo Amaro da tia Maria Bethânia, da avó D. Canô e da Nossa Senhora da Purificação, J. Velloso lança seu segundo álbum (J. Velloso e Os Cavaleiros de Jorge) na Livraria Saraiva do Shopping Salvador, dia 09/07, às 19h.

Colégio de Presidentes da OAB lamenta decisão do Supremo contra jornalistas

Maceió (AL), 19/06/2009 - O Colégio de Presidentes de Conselhos Seccionais da Ordem dos Advogados do Brasil, por unanimidade, lamentou hoje (19) a decisão do Supremo Tribunal Federal que pôs fim ao diploma de jornalista, bem como ao registro profissional no Ministério do Trabalho. Em sessão plenária dos 27 presidentes da OAB dos Estados e Distrito Federal, conduzida pelo presidente nacional da OAB, Cezar Britto, o Colégio expressou sua preocupação com as consequencias de
tal decisão para a sociedade brasileira, em seus aspectos técnicos e, sobretudo, éticos.

O Colégio de Presidentes das Seccionais da OAB referendou posição do presidente nacional da entidade, Cezar Britto, de que o Supremo não avaliou corretamente o papel do jornalista e suas implicações para a liberdade de imprensa no País. Para os dirigentes das Seccionais, a decisão pode prejudicar a independência e qualidade futuras do jornalismo brasileiro, antes garantidas pelo diploma e o registro profissional do jornalista abolidos pelo STF. Além disso, eles manifestaram preocupação com o precedente que a medida pode representar, colocando em risco conquistas históricas de outras profissões regulamentadas no País.

UFRB faz campanha para o ENEM

A Universidade Federal do Recôncavo da Bahia não vai fazer vestibular em 2010. Ela vai usar os resultados do Novo ENEM, por isso está lançando uma campanha de incentivo para que os estudantes do ensino médio façam a prova do ENEM 2009. A campanha tem o slogam : pegue carona no ENEM para entrar na UFRB.
As inscrições do ENEM acontecem de 15 de junho a 17 de julho. Com a pontuação que conseguir, o estudante do ensino médio ou quem já concluiu o segundo grau, poderá concorrer em até cinco cursos da UFRB. Assim que o MEC divulgar as notas, os estudantes poderão se inscrever nas universidades de seu interesse e o sistema vai, automaticamente, mostrando a concorrência que ele enfrentará em determinado curso da universidade que escolher.
As universidades federais, que são públicas, gratuitas, estão apostando que os estudantes vão escolhê-las, frente aos custos que uma família sempre tem ao colocar um filho na universidade (livros, manutenção com transporte, residência, etc).

A UFRB está apostando no fato de estar no interior da Bahia, com Centros de Ensino em quatro cidades, Amargosa, Cachoeira, Santo Antonio de Jesus e Cruz das Almas. Com 97% dos professores com doutorado e mestrado, a UFRB está buscando diversificar seus cursos: em 2010 serão mais de 30 cursos.
O Novo ENEM é gratuito para estudantes do terceiro ano do Ensino Médio de escolas públicas e tem custo de R$ 35,00 para outros estudantes (rede particular e concluintes de anos anteriores).

Maiores informações acesse www.ufrb.edu.br/prosel ou pelos telefones: (075) 3621 9109/9214.

Pombo sujo

Tem político inexpressivo que se submete a qualquer constrangimento para dizer que é amigo do rei. Nos últimos dias, apareceu em Cachoeira, a versão do político sem-voto pombo correio. De pseudo-liderança à entregador de convites para a solenidade da vinda do governador à Cachoeira foi um pulo. Deus me livre destes trastes.
Tem gente que topa qualquer parada para se dizer amigo do governador. Cruz credo!

Edgar Lima em Moçambique

Edgar Lima, o nosso correspondente andarilho, deixou a África do Sul e já está em Moçambique. Ele informa que, em breve, mandará notícias de lá. Estamos aguardando.

GOLPE 1


Oito contra oitenta mil
Oito contra 180 milhões
Perplexos e indignados os jornalistas brasileiros enfrentam neste momento uma das piores situações da história da profissão no Brasil. Contrariando todas as expectativas da categoria e a opinião de grande parte da sociedade, o Supremo Tribunal Federal (STF), por maioria, acatou, nesta quarta-feira (17/6), o voto do ministro Gilmar Mendes considerando inconstitucional o inciso V do art. 4º do Decreto-Lei 972 de 1969 que fixava a exigência do diploma de curso superior para o exercício da profissão de jornalista. Outros sete ministros acompanharam o voto do relator.



GOLPE 2

FIJ: decisão da Justiça brasileira é retrocesso de repercussão internacional
A Federação Internacional dos Jornalistas (FIJ) apoia a FENAJ diante da sentença que anula a obrigatoriedade do diploma em jornalismo.

A FIJ respalda seu filiado no Brasil, em sua vontade de continuar lutando pela qualidade das notícias e do jornalismo, depois que o Supremo Tribunal Federal declarou a anulação da exigencia do diploma para obter o correspondente reconhecimento profissional.

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Sérgio Mattos viaja para a Africa do Sul

O professor, jornalista e escritor Sérgio Mattos viaja no próximo sábado, para a cidade do Cabo, na África do Sul. Matos integra uma comitiva de representantes brasileiros do CNPq-Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico que vai para a África do Sul ampliar o intercâmbio entre as universidade brasileiras e as daquele país na área de pós-graduação em Comunicação. O professor representa a UFRB-Universidade Federal do Recôncavo da Bahia nesta missão.

RETROCESSO


17/06/2009 | 19:34
STF derruba exigência do diploma para o exercício do Jornalismo
Em julgamento realizado ontem, o Supremo Tribunal Federal deu provimento ao Recurso Extraordinário RE 511961, interposto pelo Sindicato das Empresas de Rádio e Televisão de São Paulo. Neste julgamento histórico, o STF pôs fim a uma conquista de 40 anos dos jornalistas e da sociedade brasileira, tornando não obrigatória a exigência de diploma para exercício da profissão. A executiva da FENAJ se reúne nesta quinta-feira para avaliar o resultado e traçar novas estratégias da luta pela qualificação do Jornalismo.

Representantes da FENAJ e dos Sindicatos dos Jornalistas do RS, PR, SP, MG, Município do RJ, CE e AM acompanharam a sessão em Brasília. O presidente da Comissão de Especialistas do Ministério da Educação sobre a revisão das diretrizes curriculares, José Marques de Melo, também esteve presente. Do lado de fora do prédio - onde desta vez não foram colocadas grades - houve uma manifestação silenciosa. Em diversos estados realizaram-se atos públicos e vigílias.

Às 15h29 desta quarta-feira o presidente do STF e relator do Recurso Extraordinário RE 511961, ministro Gilmar Mendes, apresentou o conteúdo do processo encaminhado pelo Sindicato das Empresas de Rádio e Televisão de São Paulo e Ministério Público Federal contra a União e tendo a FENAJ e o Sindicato dos Jornalistas de São Paulo como partes interessadas. Após a manifestação dos representantes do Sindicato patronal e da Procuradoria Geral da República contra o diploma, e dos representantes das entidades dos trabalhadores (FENAJ e SJSP) e da Advocacia Geral da União, houve um intervalo.

No reinício dos trabalhos em plenário, às 17h05, o ministro Gilmar Mendes apresentou seu relatório e voto pela inconstitucionalidade da exigência do diploma para o exercício profissional do Jornalismo. Em determinado trecho, ele mencionou as atividades de culinária e corte e costura, para as quais não é exigido diploma. Dos 9 ministros presentes, sete acompanharam o voto do relator. O ministro Marco Aurélio votou favoravelmente à manutenção do diploma.

“O relatório do ministro Gilmar Mendes é uma expressão das posições patronais e entrega às empresas de comunicação a definição do acesso à profissão de jornalista”, reagiu o presidente da FENAJ, Sérgio Murillo de Andrade. “Este é um duro golpe à qualidade da informação jornalística e à organização de nossa categoria, mas nem o jornalismo nem o nosso movimento sindical vão acabar, pois temos muito a fazer em defesa do direito da sociedade à informação”, complementou, informando que a executiva da FENAJ reúne-se nesta quinta-feira, às 13 horas, para traçar novas estratégias de luta.

Valci Zuculoto, diretora da FENAJ e integrante da coordenação da Campanha em Defesa do Diploma, também considerou a decisão do STF um retrocesso. “Mas mesmo na ditadura demos mostras de resistência. Perdemos uma batalha, mas a luta pela qualidade da informação continua”, disse. Ela lembra que, nas diversas atividades da campanha nas ruas as pessoas manifestavam surpresa e indignação com o questionamento da exigência do diploma para o exercício da profissão. “A sociedade já disse, inclusive em pesquisas, que o diploma é necessário, só o STF não reconheceu isso”, proclamou.

Além de prosseguir com o movimento pela qualificação da formação em jornalismo, a luta pela democratização da comunicação, por atualizações da regulamentação profissional dos jornalistas e mesmo em defesa do diploma serão intensificadas.

quarta-feira, 17 de junho de 2009

Está aberta a temporada de devaneios

Com a aproximação de mais uma visita do governador Jaques Wagner à Cidade Monumento Nacional, no próximo dia 25 de Junho, quando a sede administrativa do governo do estado será transferida para a antiga Vila de Nossa Senhora do Rosário do Porto da Cachoeira, já tem gente sem dormir, desde agora. A corrida é para ver se capitalizam algum prestígio junto à autoridade. As maquinações e delírios começam via web, telefone, correio nagô(fuxico), etc. Enfim, muita energia é despreendida em busca de um naquinho de celebridade. Ao longo dos últimos anos , temos assistido(de camarote) esse filme estrelado por canastrões e fanfarrões. O enredo e os personagens não mudam. É só botar sentido e acompanhar o desenrolar dos fatos nos próximos dias.

Direto de Pretória-África do Sul

O nosso correspondente andarilho nos informa que ainda permanece na cidade de Pretória. Em seu diário virtual exclusivamente para nosso blog, conta que ficou impressionado com a beleza da cidade e de seus monumentos históricos. Edgar aproveitou para conhecer o Centro Desportivo onde a Seleção Brasileira está treinando.O local, segundo ele, é uma construção que não deve nada a quaquer outro existente em grandes países.

" O povo negro africano nao é alto; é de mediano a baixo ou gordo. Já os brancos são grandes e fortes. Apesar de o país ser de maioria católica, eu só vi uma igreja não suntuosa. Estou gostando da culinária e já provei peixe com molho de especiarias africanas, cujo acompanhamento foi um pirão de milho branco, muito delicioso. Ah, ainda não provei nenhuma bebida especial", relata Edgar. (Foto: cidadão sul-africano clicado por Edagr Lima)

terça-feira, 16 de junho de 2009

Edgar Lima -Direto da África do Sul


O nosso correspondente andarilho, o cachoeirano Edgar Lima, encontra-se na África do Sul, curtindo e assistindo os jogos da Copa das Condeferações que está acontecendo naquele País. De lá, nos manda notícias do frio e do calor humano da população. Edgar está em Pretória, onde ficou hospedado num bairro habitado por negros tendo sido muito bem recepcionado por moradores e pelo pessoal do hotel. Segundo Edgar, ainda no aeroporto foi advertido para não procurar hospedagem nos bairros populares. Contrariando a recomendação, ele e um grupo de amigos decidiram arriscar e testemunharam que não era nada daquilo que falaram sobre o local.
Ainda conforme Edgar, o país é lindo e as pessoas acolhedoras. Os preços das comidas, transporte e vestuário, também segundo o nosso correspondente, são baratos em comparação aos praticados no Brasil. Em breve mais notícias e fotos da África do Sul.

domingo, 14 de junho de 2009

Seu Zé Também Espia


Seu Zé Também Espia – Mostra Fotográfica estréia dia 23, em Cachoeira, às 21 horas no Pouso da Palavra.


Valmir José Dayube de Azevedo (Seu Zé), 48 anos, nasceu em Cachoeira, Bahia e fotografa a cidade e suas adjacências, desde 2000. Há quatro anos, decidiu levar o seu hobby a sério e passou a documentar aspectos inusitados da vida rural e urbana, trabalho facilitado por sua ampla circulação pelo território do município aonde pratica atividades diárias de extensão apícola, dando assistência técnica aos apicultores do Recôncavo.

Autodidata, essa é a sua primeira mostra individual para a qual vem trabalhando desde 2006. Dez fotos sobre a paisagem, o meio-ambiente e a vida fluvial do Recôncavo compõem a exposição que ficará na Galeria Pouso da Palavra, na Praça da Aclamação número 8, Cachoeira, Bahia, de 23 de junho a 11 de julho.

Selecionado para a última Bienal do Recôncavo. Valmir José Dayube de Azevedo, trabalha com uma câmera Cânon digital Rebel Xsi e realiza no momento detalhada documentação do mundo do trabalho e do cotidiano das populações quilombolas do Recôncavo para um próximo trabalho sobre a formação étnica e cultural da região.

O que: Seu Zé Também Espia – Mostra Fotográfica
Onde: Pouso da Palavra, Praça da Aclamação, 8, Cachoeira, Bahia
Horário de abertura: 21 horas do dia 23 de junho (até 11 de julho em cartaz )

sábado, 13 de junho de 2009



A histórica cidade de Cachoeira, no Recôncavo baiano, distante 110km de Salvador, promove, um dos mais animados e concorridos São João do interior da Bahia. A charmosa cidade colonial é destino certo de milhares de turistas nessa época do ano, para curtir os festejos juninos e a tradicional Feira do Porto, que reúne as mais autênticas manifestações populares regionais. A Secretaria Municipal de Cultura e Turismo espera que este ano, a cidade receba cerca de 60 mil visitantes nos dias de São João. Na Feira do Porto, grandes atrações e artistas se revezam para animar o público durante os dias da festa. Feira do Porto como é realizada atualmente começou na década de 70. O evento aproveita a tradição dos festejos juninos mantida pela população e agrega novos valores tornando-se assim uma importante atração turística para a cidade histórica, uma das mais antigas da Bahia tombada como Patrimônio Nacional, pelo Instituto do Patrimônio Histórico-IPHAN.

Os idealizadores do evento aproveitaram existência da feira de produtos típicos juninos, realizada na véspera do dia de São João- uma tradição secular- e contribuindo para sua revitalização. Em paralelo à feira grandes shows para a avenida localizada na margem do Rio Paraguaçu. Assim nasceu a Feira do Porto de Cachoeira, a primeira grande festa junina da Bahia, organizada pelo poder público voltada para incrementar a economia local a partir dos valores culturais regionais.

Na Feira do Porto convive com o forró toda diversidade cultural de Cachoeira. Consta da programação da festa, grupos de samba de roda, bumba-meu-boi, quadrilhas juninas, tríduos em louvor a São João, casamento na roça, trança-fita e o folguedo Segura a Veia. Às margens do Rio Paraguaçu, além das atrações artísticas, são comercializados objetos de cerâmica dos oleiros da comunidade Maragojipinho, artesanato e dezenas de barracas comercializam comidas típicas juninas, a exemplo de pamonha, canjica, milho cozido, bolos de aipim, amendoim, a tradicional maniçoba(prato preparado à base de cachoeirana e os famosos licores de Cachoeira.
A programação do São João se estende até o dia 25 de Junho, data em que a população celebra a Independência de Cachoeira. Desde o ano passado, governo do Estado é transferido para Cachoeira no dia 25 de Junho em homenagem à participação dos cachoeiranos nas lutas pela Independência da Bahia e do Brasil.


PROGRAMAÇÃO DO SÃO JOÃO – FEIRA DO PORTO DE CACHOEIRA 2009

Segunda-feira
DIA 22/06

20h SAMBA DE RODA ESMOLA CANTADA
22h VÍRGILIO
00h MULHER BANDIDA
02h00 FORRÓ FANTÁSTICO

TERÇA-FEIRA
DIA 23/06

20h SEDUÇÃO DO PRAZER
22h BANDA FORRÓ DA DISCARADA
00h VOU DE XOTE
02h CAVALEIROS DO FORRÓ

QUARTA-FEIRA
DIA 24/06

14h SAMBA DE RODA FILHOS DA BARRAGEM
16h SAMBA DE RODA FILHOS DO CAQUENDE E FILHAS DE YAMIN
18h SAMBA DE RODA DE DONA DALVA
20h NENHO E GRUPO JEITO DE AMAR
22h SAIA RODADA
00h TIO BARNABÉ
02h MARRON GLACÊ

QUINTA-FEIRA
DIA 25/06

16h BANDA SÓ AS CABEÇAS
18h VIBRA SAMBA
20h AGITA SAMBA
22h CALIPSO
00h PSIRICO
02h SINE CALMON E BANDA MORRÃO FUMEGANTE

Programação do Palco Alternativo


Palco alternativo da Feira do Porto e São João de Cachoeira 2009 - Praça 25 de Junho - Centro Histórico


Para os que curtem o autêntico forró pé de serra e genuínas manifestações culturais juninas, a opção para quem vai passar o São João em Cachoeira, a 110 km de de Salvador, no Recôncavo baiano, será o palco alternativo que será instalado na Praça 25 de Junho, bem no coração do sítio histórico. Na praça está sendo montado um verdadeiro arraial com direito até barraca de diversão com antigas brincadeiras, além, é claro do palco coberto com palha, onde diversas atrações se revezarão para porporcionar uma legítima festa junina tradicional. A iniciativa conta com o patrocínio da Petrobras.


SÃO JOÃO FEIRA DO PORTO - 2009

CACHOEIRA - BA

PROGRAMAÇÃO DA PRAÇA DA PETROBRAS

22/06 – SEGUNDA-FEIRA

19:00h - SILVESTRE KAEL E BANDA MARIA QUITÉRIA

21:00h – TRIO ARAPONGA

23:00h – TANÚ FORRÓ

23/06 – TERÇA-FEIRA

15:00h – ESMOLA CANTADA

17:00h – SAMBA DE RODA FILHOS DO CAQUENDE

19:00h – QUADRILHA ARRAIÁ DA PAROQUIÁ

21:00h – TRIO ARAPONGA

23:00h – FORRÓ COM NENHO E GRUPO JEITO DE AMAR

24/06 – QUARTA-FEIRA

15:00h – BUMBA MEU BOI

16:00h – SEGURA A VEIA

17:00h – SAMBA DE RODA FILHOS DE NAGÔ

19:00h – QUADRILHA ARRAIÁ DA JULIÃO

21:00h – HELENA LÍDIA E BANDA CHOCOLATE QUENTE

25/06 – QUINTA-FEIRA

18:00h – CHORÕES DO RECÔNCAVO

20:00h – SAMBA DE RODA FILHOS DA BARRAGEM

sexta-feira, 12 de junho de 2009

Parabéns para Tato Pereira


Familiares, amigos e correligionários participaram, hoje pela manhã, de missa em Ação de Graças, pela passagem do aniversário do prefeito Tato Pereira, celebrada pelo cônego Hélio Cezar Leal Villas Boas, na igreja matriz de Nossa Senhora do Rosário. Na foto o prefeito Tato Pereira, o seu genitor Antônio Pereira, a primeira -dama, Rita de Cássia e o filho do casal Cauan.

OKÊ ARÔ! (VÍDEO)

Festa para Oxossi, "Cabeça do Boi", dia 11 de junho de 2009.
video

Reza para Santo Antônio segunda-feira na SEDES

Funcionários da SEDES-Secretaria Municipal de Educação e Desportos de Cachoeira mantêm a tradição da reza em louvor a Santo Antônio, na próxima segunda-feira 15, às 15 horas, na sede da Secretaria. A festa contará com a participação do grupo Esmola Cantada. Também não vão faltar as iguarias típicas dos festejos juninos como canjica, bolos, pamonha, amendoim, milho cozido e licor.

Em Defesa da Profissão


STF julgará recurso contra o diploma dia 17 de junho
Adiado na tarde desta quarta-feira, o julgamento do Recurso Extraordinário RE 511961, que questiona a constitucionalidade da exigência do diploma em curso superior de Jornalismo como requisito para o exercício da profissão, foi remarcado para o dia 17 de junho. A Executiva da FENAJ reúne-se neste feriado de Corpus Christi para traçar novas estratégias da campanha em defesa do diploma neste momento decisivo para o futuro do jornalismo brasileiro.

quarta-feira, 10 de junho de 2009

Julgamento de recurso contra diploma é novamente adiado

Em Defesa da Profissão


A FENAJ foi comunicada oficialmente às 16h30 desta quarta-feira que o julgamento do Recdurso Extraordinário RE 511961, que questiona a constitucionalidade da exigência do diploma em curso superior de Jornalismo como requisito para o exercício da profissão, está adiado mais uma vez. Ainda não há definição de nova data para inclusão do processo na pauta do STF.

Iniciada pouco após as 14h, a sessão do STF contou com forte aparato de segurança montado no prédio para impedir a aproximação dos manifestantes defensores da manutenção do diploma como requisito para o exercício da profissão.

Com a pauta da sessão de hoje sobrecarregada – além do recurso RE 511961 estavam em pauta, também, a Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) 172, relativa ao caso do menino S., cuja guarda está sendo disputada judicialmente, e a Ação Penal do Mensalão (AP Nr 470) –, um oficial de justiça comunicou aos representantes da FENAJ o adiamento da apreciação do recurso contra o diploma.

Estiveram presentes na sessão, além de dirigentes da FENAJ, do Fórum Nacional de Professores de Jornalismo (FNPJ) e de uma delegação de estudantes de diversas faculdades do estado de SP, representantes dos Sindicatos dos Jornalistas do RS, PR, SP, GO, DF, MG, Município do Rio e CE.

Para o presidente da FENAJ, Sérgio Murillo de Andrade, o novo adiamento deste processo “faz com que a agonia se arraste”. Ele considera, porém, que com mais tempo, os ministros do STF poderão aprofundar suas reflexões sobre este recurso. “Nós termos certeza que, numa avaliação técnica, o posicionamento do Supremo será pela constitucionalidade do diploma e contemplará os anseios dos jornalistas e da sociedade sobre este tema”, disse.

A reunião da Executiva da FENAJ está mantida para amanhã, quando será feita nova avaliação sobre o desenrolar desta luta e definidas novas orientações ao movimento em defesa do diploma.

Sábado tem eliminatória do Festival de Música Junina

Acontece sábado, dia 13, apresentação de concorrrentes do Festival de Música Junina 2009, dentro da programação do Projeto Esperando o São João, promovido pela prefeitura de Cachoeira. Abaixo a relação das músicas selecionadas e os seus respectivos autores:
Eterno Sonhador - Atanagildo Soares Santana
Um Grande Amor - Erudilio Angelo nunes
Cachoeira Terra boa - Jomar Lima de Queiroz
Máquina do Tempo - Robson do Sacramento Santana
O trem de Belém - Jorge Luíz Pereira Figueiredo
Chamego - Ronivaldo Jesus De Souza ( Rony Bonn)

terça-feira, 9 de junho de 2009

Defesa do diploma é destacada em manifestações e vigílias em todo o País

Hora da Verdade


Nesta quarta-feira (10/06), a partir das 14h, as atenções dos jornalistas brasileiros e dos defensores do direito da sociedade à informação de qualidade estarão voltadas para o plenário do Supremo Tribunal Federal (STF). Estará em pauta o julgamento do Recurso Extraordinário RE 511961, que questiona a exigência do diploma como requisito para o exercício da profissão de jornalista. A FENAJ convocou ato público para acompanhemento da sessão em Brasília. Paralelamente, manifestações e vigílias acontecem em todo o país.

Tem festa para Oxossi no dia de Corpus Christi


O povo de santo da nação ketu (etnia) faz reverências ao orixá Oxossi, no mesmo dia em que os católicos promovem homenagens ao anúncio de Corpus Christi. Na festa do povo de santo tem missa e ritual de candomblé. A solenidade é denominada da Festa da Cabeça do Boi. A tradição é mantida no Terreiro do Gantois, em Salvador, e na cidade de Governador Mangabeira, precisamentete no Portão, na casa fundada pelo saudoso Babalorixá Manoel Cerqueira Amorim, Nezinho do Portão.

Tudo começa em Cachoeira, na Rua Poeta Sabino de Campos, atrás da Igreja de Nossa Senhora da Conceição do Monte. Na casa de uma pessoa de santo, o ritual começa a ser preparado desde as primeiras horas da manhã, por gente de puro fundamento. Lá, por volta das 8 horas, sai o cortejo das mulheres ligadas ao terreiro que seguem de carro até Muritiba. Enquanto isso, em Muritiba, uma parte das pessoas do terreiro assiste missa na igreja matriz.

Após a missa, o grupo que saiu de Cachoeira se encontra com o grupo que estava na Igreja de Muritiba, na entrada do Terreiro. Todos entram entoando cânticos no barracão. Depois, todos vão até casa de Oxossi fazer suas reverências. Tudo termina com um rico café da manhã. À noite, o couro come no terreiro, sob o comando vigilante de Mãe Cacho, a sucessora de Nezinho do Portão. Okê Arô!

Solenidade Corpus Christi em Cachoeira

A Paróquia de Nossa Senhora do Rosário e a Câmara de Vereadores de Cachoeira convidam para a solenidade do anúncio de Corpus Christi, nesta quinta-feira, dia 11, às 16 horas na Igreja Matriz. Após a missa, sairá a procissão

segunda-feira, 8 de junho de 2009

Raquel Gonçalves fala sobre jonalismo literário no Sebo Ana Néri

Nesta terça-feira, 09 de junho, no espaço Café com Arte Sebo Ana Néri, em Cachoeira, a partir das 20:00h, bate-papo sobre jornalismo literário com Raquel Gonçalves. Além disso, terá mostra do documentário O Conto Torto do Olho e apresentação da revista Cadeira com Rodas do extinto grupo TR.E.M.A – Território de Expressão no Mundo Anônimo.

Para abrir a noite literária, Cassius Borges, Ícaro de Oliveira, Jhones Nunes, Marcio Soares e Samir Suzart, todos estudantes de Cinema da UFRB, mostrará o curta “Anjo da Guarda”.

O grupo TR.E.M.A faz parte do projeto contemplado no I Edital das Artes da Prefeitura de Fortaleza. O curta-metragem “O Conto do Olho” faz um recorte da vida de Mônica Cavalcante, moradora do bairro Conjunto Ceará por dez anos que freqüentou os terminais de ônibus durante a madrugada.

A revista “Cadeira com Rodas” contém reportagens sobre o universo desconhecido dos terminais de ônibus urbanos de Fortaleza. “Um pedaço da cidade, da vida das pessoas, do trabalho noturno, das farras desconhecidas, dos embriagados alheios, da labuta diária e da imaginação humana do ócio na ânsia ou no medo de esperar o próximo coletivo”, diz Raquel Gonçalves.

O evento faz parte da 4ª edição do Projeto Narrativas em Fluxo: leitura de portfólios, arquivos e dossiês e está sendo realizado pelo Colegiado de Cinema da UFRB e pela mais nova produtora diLEMA. Tem como apoio o Centro de Artes, Humanidades e Letras e o Sebo Ana Néri.

domingo, 7 de junho de 2009

Encontro de gerações


O doutor em História e professor da UFRB-Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, Walter Fraga Filho, ao lado do pai, o comerciante Walter Fraga, num momento de celebração, ontem à noite, na casa do intelectual em Muritiba.

Saída de yaô no Lobanekun(filho)


Cerimônia de saida de yaô, ontem à noite, no Terreiro Lobanekun(filho) da tradição dos nagôs, fundado pela saudosa Yalorixá Lyra, na Rua Poeta Sabino de Campos, atrás da Igreja de Nossa Senhora da Conceição do Monte em Cachoeira.

sexta-feira, 5 de junho de 2009

J. Velloso e Os Cavaleiros de Jorge no aniversário da Casa da Mãe

Aniversário da Casa da Mãe com os super show de J. Velloso e Os Cavaleiros de Jorge com os convidados mais que especiais: Chita Fina, Stella Maris, Daniela Tourinho, Três na Folia (Sandra Simões, Cláudia Cunha e Manuela Rodrigues), Mazzo Guimarães, Cristiano Souveral, Matildes Charles,Toni Vinih, e muito mais....

Audiência pública abre discussões sobre formação do Conselho Municipal de Cultura


Com as presenças de agentes culturais, artistas e representantes de outros segmentos da sociedade, foi realizada, ontem pela manhã, na Câmara de Vereadores, audiência pública para a formação do Conselho de Cultura do município de Cachoeira. A iniciativa da Secretaria de Cultura e Turismo teve como objetivo fortalecer o diálogo com a sociedade para a formação do Conselho Municipal de Cultura com ampla participação popular. Na foto o secretário municipal de Cultura e Turismo, Washington Nem.

terça-feira, 2 de junho de 2009

Parabéns para o médico Odilon Rocha

O atual secretário de Saúde do município de Governador Mangabeira, Odilon Cunha Rocha, hoje, foi alvo de muitas homenagens por mais um ano de vida. Familiares e um grande número de amigos fizeram festa para felicitar o aniversariante dia dia 2 de junho.

VÍDEO: " Que seria de mim meu Deus sem a fé em Antônio"

Reza de Santo Antônio no Terreiro Lobanekum Filho. O povo de santo e católicos juntos num terreiro de candomblé para louvar Santo Antônio. Tradição de 1º de Junho em Cachoeira.
video

NOTA OFICIAL DA FENAJ SOBRE O DIA DA IMPRENSA NO BRASIL

Nota Oficial 02/06/2009 | 14:45
Dia da Imprensa: nada a comemorar

Neste 1º de junho, alusivo ao Dia da Imprensa no Brasil, os jornalistas não têm o que comemorar. Ao contrário, é lametável o “presente” que Nelson Tanure, um dos donos da mídia no país, dá aos jornalistas, ao suspender a circulação da Gazeta Mercantil. Sobram para os profissionais a angústia de não verem respeitados seus direitos trabalhistas e a certeza da necessidade de mudanças profundas no sistema de comunicação do país.

Antes comemorado no dia 10 de setembro, o Dia da Imprensa no Brasil passou a ser reconhecido oficialmente como o 1º de junho a partir de um Projeto de Lei aprovado em 1999, com o apoio da FENAJ. A referência anterior registrava o início da Gazeta do Rio de Janeiro como o primeiro veículo impresso no Brasil, em 1808, como jornal oficial da Corte portuguesa. O PL repôs os pingos históricos nos is, reconhecendo que o pioneiro da imprensa brasileira foi o Correio Braziliense, do gaúcho Hipólito José da Costa, lançado em 1º de junho do mesmo ano.

A suspensão da circulação da Gazeta Mercantil após quase 90 anos, expõe uma crise no veículo que redundou em mais de 300 ações em fase de execução e dívidas trabalhistas que superam a casa dos R$ 200 milhões. Tentando fugir à sua responsabilidade, a CBM (Cia. Brasileira de Multimídia) de Nelson Tanure, considerada judicialmente como sucessora do ex-proprietário do jornal, Luiz Fernando Levy, tentou – frustradamente - devolver-lhe o veículo.

Tal situação revela a sucessão de incompetências administrativas na condução do jornal ao longo dos anos. E, mais que isso, desnuda um modelo de negócios declaradamente falido e ainda em aplicação no “mercado de comunicação” do país.

Diante de tal situação, a Federação Nacional dos Jornalistas soma-se ao Sindicato dos Jornalistas de São Paulo no apoio e solidariedade aos jornalistas da Gazeta Mercantil e reivindica a discussão ampla e democrática, com a necessária revisão, do modelo que sustenta a mídia eletrônica e impressa brasileira na Conferência Nacional de Comunicação.

Brasília, 1º de junho de 2009.
Diretoria da FENAJ

VÍDEO BANDA DE FUZILEIROS NAVAIS EM CACHOEIRA

video

Alice destaca restauração do Quarteirão Leite Alves

A deputada Alice Portugal (PCdoB-BA) acompanhou o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o governador Jaques Wagner, nesta segunda-feira (25), em Cachoeira, região do Recôncavo. A parlamentar comemorou a restauração de diversos prédios históricos do quarteirão Leite Alves, entre eles o do campus da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB).

Além da UFRB, são restaurados em Cachoeira cerca de 80 imóveis públicos, privados e monumentos tombados pelo Iphan, como o Conjunto da Ordem do Carmo, a Igreja Matriz de N.S. do Rosário, as igrejas do Monte e Rosarinho, a capela da Ajuda, a casa de Ana Nery, os antigos Fórum e Arquivo Público Municipal, entre outras edificações.

A deputada lembra que existiam diversos prédios históricos que se encontravam em ruínas e hoje esta realidade está sendo alterada. Alice foi uma das parlamentares que mais se envolveu no processo de reconstrução do campus, que oferecerá sete novos concursos na UFRB. “Inclusive um de cinema, o primeiro da Bahia em instituição pública”.

Conselho Municipal de Cultura

Será realizada na próxima sexta-feira,5, às 9h, na Câmara de Vereadores, audiência pública para a formação do Conselho Municipal de Cultura. Serão discutidos os seguintes temas: Conselho Municipal de Cultura, Fundo Municipal de Cultura e Plano Municipal de Cultura.