segunda-feira, 1 de setembro de 2014

UNAEE atende alunos da rede municipal com déficit de aprendizagem

A prefeitura municipal de São Félix, através da rede municipal de ensino, dispõe do serviço de atenção psicológica e psicopedagógica para alunos que apresentam déficit cognitivo de aprendizagem. A Unidade de Atendimento Educacional Especializado –UNAEE conta com profissionais capacitados para acompanhar gratuitamente, os estudantes encaminhados pelas escolas.

“O serviço tem como objetivo, através do atendimento específico da cada aluno, possibilitar o melhoramento no nível de aprendizagem,além de  estimular o resgate da autoestima”, explica o secretário de Educação, Eliton Lafite.

Os pais também participam do atendimento, pois são orientados a acompanhar os filhos assistidos pelos profissionais da UNAEE. Os atendimentos são agendados previamente, e acontecem de segunda à sexta-feira, das 13h às 16h30min. A UNAEE funciona no mesmo prédio da APAE de São Félix. O serviço oferece, além dos acompanhamentos psicológico e psicopedagógico, reforço pedagógico.

sábado, 30 de agosto de 2014

Casa da Cultura Américo Simas: Espaço da diversidade de São Félix




É nas instalações do antigo setor de embalagens da Fábrica de Charutos Dannemann, que  as  diversas manifestações culturais do povo de São Félix tem ali o seu porto seguro, desde 1984, ano da inauguração da Casa da Cultura Américo Simas. Naquele espaço, onde outrora homens e mulheres trabalhavam para atender as demandas da indústria fumageira, a rotina nos dias de  hoje é marcada pelo incentivo a  arte, a cultura e a preservação da identidade, também como uma forma criativa de ganhar a vida.
A Casa da Cultura Américo Simas abriga a Puxada de Rede, uma das mais belas manifestações populares do Recôncavo;bonecos gigantes e a Burrinha.  As oficinas de capoeira, percussão, dança e os grupos de produção de artesanato e os encontros dos samba de roda , movimentam diariamente o local. Também é na Casa da Cultura,  batizada pela sua diretora Beatriz Conceição como a “Casa Mãe”, são realizados  ensaios de espetáculos  teatrais, a exemplo da encenação da Paixão de Cristo.
Os figurinos e os cenários dos espetáculos também são confeccionados no mesmo espaço, que ainda guarda o Carro da Cabocla, símbolo cívico da Independência da Bahia. Reuniões, eventos, shows, exibição de filmes, palestras, exposições, cursos fazem parte da rotina da Casa da Cultura Américo Simas, criada pelo então prefeito de São Félix, Eduardo José de Macedo.

A “Casa Mãe” reserva ainda um cantinho sossegado para o mestre Isaías, dar asas a sua imaginação e criar dezenas de peças com a reciclagem de papel jornal. Ali também, Daniel Moreira da Conceição, constrói seus barquinhos  e carros de madeira. Beatriz Conceição é a diretora da Casa da Cultura Américo Simas e a principal guardiã da memória do local. “Aqui é o ponto de referência das manifestações populares e da criatividade da população de São Félix”, fala enquanto  caminha mostrando cada pedaço do imóvel. A Casa da Cultura esteve na iminência de fechar as portas entre os anos 2002 e 2003. Nessa época houve uma intervenção para a recuperação do telhado que ameaçava desabar”, lembra Beatriz.
“A Casa da Cultura Américo Simas ainda  necessita de restauração, mas continua com as suas atividades, mesmo enfrentando algumas dificuldades para seguir como polo irradiador da cultura de São Félix”, conclui a diretora, demonstrando força e determinação para continuar lutando pela revitalização do local.
  

São Félix: Arquivo Municipal guarda relíquias históricas da Cidade Presépio



São Félix: Arquivo Municipal guarda  relíquias históricas da Cidade Presépio
Situado ao lado do imponente Paço Municipal, marco do início da República brasileira, o Arquivo Público Municipal  Dr. Júlio Ramos de Almeida, guarda  parte importante da memória da cidade de São Félix, desde a sua fundação. É com muito orgulho que o diretor da entidade Oséas Fernando Oliveira de Souza, mostra o documento da elevação da antiga vila à cidade, datada de 1890. Outra preciosidade que faz parte do acervo do Arquivo fundado há 21 anos , por iniciativa do então prefeito do município, Eduardo José de Macedo, é o documento onde está registrada a criação da Freguesia do Outeiro Redendo, de 1718.

É de 1890,  o único exemplar do Jornal A Pátria, fundado pelo  político Salvador José Pinto, também sob a guarda do Arquivo Municipal. Assim como uma vasta documentação sobre o importante Engenho Capivari que pertenceu ao casal Manoel Vieira Tosta e Maria Natividade. O acervo guarda ainda cópias de livros de registro de compra e venda de escravos, datados de 1817.

O diretor Oséas Fernando que dirige o Arquivo Municipal desde a sua fundação, faz questão de realizar atividades para  chamar atenção da população sobre  a memória mais recente de de instituições, personagens políticas e pessoas da comunidade. “É uma forma de alertar aos mais jovens sobre a importância da preservação da nossa história não se perca no tempo ”, ele explica. Foi com esse objetivo organizou recentemente a mostra sobre a Fanfarra do Colégio Estadual Rômulo Galvão, que ainda pode ser vista pelo público. Para outubro, mês de aniversário da emancipação de São Félix, conta que já está organizando uma exposição em homenagem a professora Gilnath Guedes, a primeira mulher a ocupar o cargo de vice e de prefeita do município.

Frequentado  por estudantes do ensino médio, professores e, agora também, por pesquisadores e estudantes do CAHL(Centro de Artes Humanidades e Letras), da  UFRB(Universidade Federal do Recôncavo da Bahia), além dos documentos, o Arquivo Municipal, também conta história de São Félix, através de fotografias,  objetos arqueológicos, expostos numa vitrine, a exemplo de pedaços de louças, talheres, utensílios de pedra, correntes, entre outras peças encontradas na área de escavação para a construção da Barragem de Pedra do Cavalo.
O Arquivo Municipal de São Félix mantém parceria com a Fundação Pedro Calmon e com o Arquivo Público do Estado da Bahia, e é mantido pela prefeitura municipal. No local, além do diretor, trabalham mais três funcionários. O funcionamento é de segunda a sexta-feira, das 8h às 15h.


                                                                                                             

Imprensa e imprensa


Agora virou moda. O cabra tem um surto e cisma que é jornalista ou radialista, compra uma camisa e manda pintar nas costas com letras gigantes "IMPRENSA"; faz um crachá do tamanho da capa de um caderno universitário e pendura no pescoço. Para completar o modelito, compra um mini gravador do Paraguai e sai por ai tirando onda de repórter. Me deixe, viu!

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Peneira do Esporte Clube Vitória em São Félix neste sábado


O Esporte Clube Vitória realiza neste sábado, dia 30, testes técnicos para garotos nascidos entre os anos de 1997 a 2014. Os interessados devem se dirigir ao Estádio Municipal, a partir das 8h30min. O atleta deve levar short, meião e calçado. Mais informações poderão ser obtidas através dos telefones: 71 8746 - 9450/ 8116- 3472/9233-9671.


São Félix:Termina hoje o prazo para o cadastramento dos beneficiários do BPC

A Secretaria de Assistência Social está convocando moradores de São Félix,beneficiários do BPC(Benefício de Prestação Continuada), para comparecerem ao CRAS(Centro de Referência da Assistência Social), no bairro do Dendê, munidos de seus documentos pessoais e comprovante de residência até hoje(sexta-feira, dia 29 de agosto), para o cadastramento do benefício.

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Carlos Pereira acompanha de perto as obras do asfalto da estrada do Capoeiruçu




O prefeito Carlos Pereira esteve hoje pela amanhã em Capoeiruçu, para acompanhar as obras do asfalto daquela localidade. A antiga reivindicação dos moradores e compromisso do atual gestor, as obras já são realidade. Homens e máquinas estão executando os serviços previstos para serem concluídos em sessenta dias. Em Capoeiruçu, o prefeito se conversou com a equipe de técnicos do Derba sobre os detalhes das obras. O assessor do gabinete, Cleber Brito acompanhou o prefeito na visita.

Serão beneficiados 2km da BA 501, trecho da BR -101, Capoeiruçu/Cachoeira, com o produto CBUQ(Concreto Betuminoso Usinado a Quente), que, de acordo com o engenheiro do Derba, Elias Santos Silva, tem mais durabilidade, melhor acabamento, além de proporcionar mais conforto para quem trafega pelo pista. Estão sendo aplicadas camadas do produto com uma altura de 5cm. O projeto prevê também a drenagem com a implantação de canaletas e caixas coletoras ao longo do trecho. As caixas coletoras serão entroncadas a uma tubulação existente para o escoamento da água acumulada nas margens da BR - 101.

O marco inicial dos 2km da estrada é uma borracharia que funciona no local há vários anos, seguindo pela Rua Principal, do passando pelo IANE(Instituto Adventista do Nordeste). O trecho da BA - 501 que liga Capoeiruçu a Cachoeira, também está sendo recuperado. A estrada depois de pronta receberá sinalização horizontal e vertical.