sexta-feira, 19 de setembro de 2014

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Ministério Público da Bahia promove o 2º Prêmio Melhor Escola Pública do Ano




A escola vencedora ganhará R$ 8 mil

Edital: Para se inscrever acesse: http://www.mpba.mp.br/eventos/2014/agosto/16/

Encontram-se abertas as inscrições para a segunda edição do Prêmio Melhor Escola Pública do Ano. A iniciativa faz parte das ações do Programa Objetivos do Desenvolvimento do Milênio – Saúde e Educação de Qualidade para todos, implementadas pelo Ministério Público. O concurso tem como objetivo premiar escolas públicas municipais estaduais que apresentarem melhores estratégias de planejamento, intervenção e monitoramento para conservação das unidades escolares. Também será observada a aplicação eficiente de verbas para a melhoria da aprendizagem, além da valorização da autonomia da gestão escolar.

O promotor de Justiça, Sávio Damasceno, que realiza ações do Programa Objetivos do Desenvolvimento do Milênio, no âmbito do Ministério Público, na comarca de Cachoeira, explica que é muito importante a participação das escolas no concurso. “A iniciativa, entre outros objetivos visa estimular a melhoria na gestão escolar, com maior participação dos conselhos escolares, pais, educadores e os demais segmentos da sociedade”. “Saúde e educação são assuntos que devem ter prioridade para a melhoria imediata da educação pública”, complementa o representante do Ministério Público.

A comissão que julgará o concurso será composta por membros do Ministério Público do Estado da Bahia e de outras entidades. Serão analisados critérios tais como a evolução da escola no Ideb(Índice de Avaliação do Desenvolvimento da Atenção Básica); desempenho escolar dos alunos; participação no Programa Objetivos do Desenvolvimento do Milênio. O concurso premiará o primeiro lugar com R$ 8 mil. O prêmio deverá ser aplicado na aquisição de objetos e equipamentos para o uso comum de toda escola. O concurso abrangerá oito regiões do estado da Bahia, sendo que cada uma, terá um prêmio de primeiro lugar.

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Educação em São Félix: Projeto ensina crianças e adolescentes técnica de grafite e artes cênicas



  Alunos da Escola Municipal Balão Mágico da rede de ensino de São Félix  estão participando de oficinas criativas de técnica de grafite e de artes cênicas. A iniciativa faz parte do Projeto Mais Cultura na Escola e atende crianças e adolescentes de 12 a 16 de anos.  As oficinas  estão sendo realizadas na Casa da Cultura Américo Simas, no turno da manhã e da tarde.

A oficina de técnica de arte em grafite  está sendo ministrada pelo artista plástico Luiz Flávio de Oliveira de Macêdo
(Luky Boy).  Nesta primeira etapa do projeto, os alunos da turma de grafite estão aprendendo a desenhar com lápis comum e lápis de cera.  O próximo passo será  a parte prática com  os ensinamentos da técnica de grafitagem com tinta spray.  Segundo o artista plástico,  as crianças têm manifestado muito interesse em aprender a técnica e muitos até já fazem planos para o futuro. “Alguns falam que querem aprender para colorir as paredes da rua onde  mora;outros  sonham em ser famosos e viajar pelo mundo”, conta  o oficineiro.

As atividades da oficina de artes cênicas estão sendo realizadas pelo  ator Magno do Rosário Pereira, um dos coordenadores do Projeto Mais Cultura na Escola. Na mesma oficina, os alunos estão tendo a oportunidade  de aprender música.  O projeto oferece também a oficina de Contação de História, cujas atividades estão acontecendo na própria Escola Balão Mágico.


terça-feira, 9 de setembro de 2014

Frota do transporte escolar de São Félix é ampliada


A frota do transporte escolar foi ampliada com a aquisição de mais três novos ônibus em parceria com o governo doe estado e o Ministério da Educação com recursos do  Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. A rede municipal de ensino também vai ganhar novas vagas com a construção de uma creche modelo no bairro Salva Vidas.

domingo, 7 de setembro de 2014

Povo de santo de São Félix é representado por associação


O povo de santo de São Félix conta agora com uma entidade representativa. Na última sexta-feira, 5, em solenidade na Câmara de Vereadores foi empossada a primeira diretoria da Associação dos Terreiros de Candomblé, Umbanda e afins. A entidade reúne 25 casas religiosas de matriz africana. A iniciativa conta com o apoio da Diretoria Municipal de Políticas da Promoção da Igualdade Racial.

Para Cláudio Reina, assessor da Diretoria Municipal de Políticas da Igualdade Racial, a consolidação da Associação, representa um importante avanço na mobilização do povo de santo de São Félix em defesa direitos e garantias constitucionais. “A entidade vai contribuir para fortalecer a luta contra a intolerância religiosa em nosso meio, além de dar mais visibilidade aos afrodescendentes praticantes de religiões de matriz africana”, disse. “Além dessas questões, a entidade vai atuar pelo reconhecimento da importância da identidade cultural do povo negro, presente de forma marcante na sociedade sanfelista”, complementou Claúdio Reina.

Ainda segundo ele, a formalização da entidade representativa do povo de santo vai possibilitar as relações inconstitucionais com o apoio da Diretoria Municipal de Políticas da Igualdade Racial. “ Através da parceria, podemos atuar na construção de ações referentes aos direitos humanos, educação,as questões sociais, culturais e de saúde do povo negro”, destacou Claúdio Reina.

A diretoria da Associação dos Terreiros de Candomblé , Umbanda e afins de São Félix é composta por: presidente a yalorixá Terezinha Oliveira Santos; Coordenadora Administrativa, Wilana Rocha Pedreira; Coordenadora Financeira, Joselita Sampaio Alves;Coordenador de Meio Ambiente, Carlos Paulo; Coordenadora da Mulher, Jaciara Rodrigues; Coordenador de Informação, Idelson Conceição Sales;Comunicação e Mídia, Laisa Peroline.